Minha casa minha vida – Como reduzir o custo do financiamento

2
984

Dentro do programa Minha Casa Minha Vida existem alguns subsídios que você pode utilizar para reduzir o custo do financiamento.

Mas, como isso funciona? Bom, se você deseja saber mais sobre isso, esse post é para você.

Boa leitura!

Quais são os descontos disponíveis pelo Minha Casa Minha Vida?

De modo geral, os subsídios é um valor oferecido pelo governo federal para conseguir beneficiar as pessoas que não tem tanta condição.

Assim, o valor total do seu financiamento é reduzido.

Existem atualmente quatro alternativas para você conseguir reduzir o tal financiado, que são:

1 – Pagamento de parte do dinheiro pelo governo federal:

Esse subsidio depende da sua faixa de renda. As definições são realizadas da seguinte maneira:

Faixa 1 – Os subsídios podem chegar até 90%. A definição é realizada de acordo com a situação, pois se considera o total das pessoas que estão compondo a família e a renda total.

Faixa 1,5 – O benefício pode chegar até R$ 47.500,00.

Faixa 2 – O limite máximo oferecido aqui é de R$ 27.500,00;

Faixa 3 – Não existe nenhum subsídios aqui.

Como pode ver, quanto menor for a sua renda, maior será o montante que o governo federal irá dar e mais baixa será a taxa de juros aplicada.

A simulação do seu subsídio e o valor das parcelas podem serem feitas diretamente com o representante da construtora do empreendimento, que irá verificar a melhor possibilidade para cada caso.

2 – Use o seu FGTS:

Você também pode utilizar o FGTS para pagar o financiamento, desde que você cumpra algumas regras delimitadas.

O primeiro critério é se enquadrar no Sistema Financeiro de Habitação, que são a base para a maioria dos financiamentos habitacionais.

Além disso, existem algumas proibições, que são:

  • Estar dentro de um processo de aquisição de outro imóvel residencial pelo SFH;
  • Comprar outro bem com a mesma finalidade e que estejam no município que trabalha ou mora;
  • Adquirir outro imóvel que esteja em uma cidade vizinha ou região metropolitana.

Seguindo esse requisito você poderá utilizar o FGTS.

3 – Redução do valor do seguro:

A legislação do Minha Casa Minha Vida determina que o financiamento inclua um seguro.

Esse seguro serve para cobrir possíveis situações inadimplentes.

Ou seja, esse recurso é como um empréstimo, porque ele acaba sendo agregado ao valor do financiamento.

Conhecido como Fundo Garantidor de Habitação Popular (FGHab), ele consegue quitar durante o prazo de 3 meses as parcelas devidas em situação que você estiver:

  • Desempregado;
  • Perder 30% da capacidade de pagamento.

Esse prazo pode ser ambiente durante o mesmo período de três meses, sendo limitado em até 36 meses.

Mas, o uso desse seguro só pode ser autorizado se você estiver com todas as outras prestações pagas no momento em que você aciona o seguro.

Além disso, você precisa ter quitado já, pelo menos seis meses do financiamento habitacional.

Caso aconteça alguma morte ou invalidez permanente, existirá a quitação do saldo devedor.

4 – Reavaliação de caso:

Outra maneira de você conseguir reduzir o valor das suas prestações, o indicado é sempre solicitar uma revisão do banco financiador.

Se ela não for aceita, você pode entrar na justiça.

Em qualquer um dos casos, a regra é sempre que a parcela seja até 30% da sua renda mensal.

Se ela ultrapassar, a quantia que está sendo paga mensalmente poderá ser revista ou ainda ser realizado um refinanciamento imobiliário para aumentar o prazo.

Para obter ainda mais informações, acesse : http://caixa.gov.br/voce/habitacao/minha-casa-minha-vida/paginas/default.aspx

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui